< Voltar

Indique a um amigo

 

Escolha o vinho certo para cada prato - este néctar dos deuses torna cada refeição mais especial. Vamos ajudá-lo a conhecer qual o vinho apropriado a cada receita e a temperatura ideal para servi-lo, entre muitas outras dicas.

A famosa saudação "Saúde" – que acompanha sempre um brinde, não existe por acaso. A ciência já comprovou que o consumo de um a dois copos de  vinho, por dia, proteje o coração de problemas cardíacos. Desta maneira, aproveite a deixa, mas não abuse, pois o excesso é prejudicial a saúde.

Qual Escolher? O vinho e a comida devem completar-se. Nenhum deles deverá anular o sabor do outro. A afirmação “vinho tinto com carne e vinho branco com peixe”, é mais do que verdadeira, mas há sempre a exceção que foge a regra. Com o bacalhau é uma delas, uma vez que os pratos mais pesados, com paladar mais acentuado, combinam perfeitamente com um bom tinto. Para as receitas mais suaves recomendamos vinhos mais leves como os brancos, os tintos e os espumantes.

A opção ideal
Para receitas com bacalhau cozido, com pouco tempero ou só com azeite:

  • Branco, meio-seco e meio-doce
  • Verde, suave
  • Rosado, meio-seco
  • Espumante, meio-seco

Sugestão: Os vinhos verdes têm o aroma fino e elegante com fruta muito agradável. Na boca surge com mais intensidade que no nariz, com sabor cheio, lembrando abacaxi, e frutas cítricas, e um final muito harmonioso e persistente. Eles são ideais para acompanhar receitas leves e podem ser servidos sem medo.

Pratos de condimentação média gratinados ou com cremes:

  • Branco, seco, leve
  • Rosado, meio-seco e seco
  • Espumante, meio-seco

Sugestão: O vinhos brancos, geralmente, apresentam um aroma limpo e jovem, com especiarias muito suave.

Na boca, surge como um vinho seco, novo e amanteigado. Ao olhar, mostra-se de cor amarelo palha limpo e brilhante. Mas fique atento ao bolso, na maioria das vezes, são vinhos caros.

Para preparações bem condimentadas como caldeiradas, cozidos e ensopados.

  • Branco seco e encorpado, maduro e verde
  • Rosado seco
  • Tinto leve ou encorpado
  • Espumante rosado seco

Sugestão: Os tintos e mais encorpados, ao paladar, geralmente são bons para acompanhar peixes, por serem mais estruturados. Para obter um melhor resultado ainda, prefira os vinhos mais velhos, com pelo menos uns 5 anos. A temperatura ideal para ser servido ronda os 16ºC.

A melhor temperatura - os brancos, rosados e espumantes devem ser servidos frescos. A forma mais eficaz de refrescá-los consiste em mergulhar as garrafas num balde com água e gelo.
Quanto ao tinto, a melhor forma de apresentá-lo é à temperatura ambiente. Deixe-o por 24 horas na sala onde vai ser servido, e abra-o 1 hora antes.
Os espumantes devem ser servidos a uma temperatura de 10 a 12ºC, os brancos a 12ºC e os tintos de 16 a 20ºC

O que não deve fazer
Brancos

  • Utilizar o freezer para refrescar
  • Gelar ou refrescar em excesso
  • Deixá-lo na geladeira muito tempo
  • Colocar cubos de gelo dentro do vinho

Tintos

  • Colocar a garrafa sobre um aquecedor para obter uma boa temperatura
  • Amornar em excesso
  • Passar a garrafa por água quente antes de servi-la

Caso não consuma toda a garrafa de vinho, para evitar que oxide rapidamente, volte a tampá-la com a rolha e guarde-a na geladeira. Consuma-a, no máximo, em dois ou três dias. Uma luz intensa e grandes variações de temperatura podem afetar o sabor desta bebida. O vinho deve ser conservado em local escuro e ditado.

Os copos certos - para tirar bom proveito do vinho é essencial servi-lo num copo com as dimensões, formatos e materiais adequados. O tinto deve ser servido em copos menores para que não aqueça, perdendo a frescura.